Comunicação - Opinião

Todo apoio a Marzeni Pereira e todos os demitidos pela Sabesp!

Comunicação - Mandato Toninho Vespoli | 14/04/2015 - 13:31

Vivemos uma crise de abastecimento de água sem precedentes no estado de São Paulo. Resultado direto de seguidas gestões irresponsáveis do PSDB, que está no governo há 20 anos. Desde meados do ano passado a população sofre com cortes de água, que atingem principalmente as regiões mais periféricas da cidade. Mas ao invés de aumentar o investimento para solucionar a crise, o governo do Estado entrou em 2015 querendo reduzir gastos a qualquer custo. E isso se reflete na estrutura da Sabesp. Desde o começo do ano já foram demitidos pelo menos 500 funcionários da empresa, segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente de São Paulo (Sintaema), muitos deles em retaliação política.

É o caso de Marzeni Pereira, funcionário da Sabesp há mais de 22 anos, que não se calou perante os desmandos do governo estadual na gestão da água. A sua demissão tem clara intenção política, já que Marzeni constrói a Oposição Alternativa, grupo que faz oposição à direção sindical do Sintaema. O governo do Estado não quer funcionários que questionem seus desmandos.

Depois de enganar a população durante a campanha eleitoral ao dizer que “não faltava e nem vai faltar água em São Paulo”, o governador Geraldo Alckmin não consegue dar respostas à altura para o tamanho da crise que foi instaurada. Desde 1985, quando as obras de construção do Sistema Cantareira terminaram, não se faz investimentos em novos reservatórios hídricos. E durante estes 30 anos a população da região metropolitana de São Paulo passou dos 30 milhões de habitantes. A conta não fecha e sentimos os resultados agora.

Mas se não houve investimento em infraestrutura, não faltaram recursos para os acionistas da Sabesp. Entre 2003 e 2013, um terço dos lucros líquidos da empresa – o que representa mais de R$ 4 bilhões – foi repassado para acionistas. Dinheiro que poderia ter sido investido para evitar esta crise, que já havia acontecido em muito menor proporção em 2003, caso a Sabesp fosse 100% pública. A preocupação do governo do Estado é garantir os lucros de seus acionistas, mesmo que isso cause uma clara deficiência no fornecimento de água para a população.

Dessa forma, o Diretório Municipal do PSOL São Paulo e o mandato do vereador Toninho Vespoli se solidarizam com o camarada Marzeni Pereira e todos os outros demitidos pela Sabesp em 2015 e defendem a readmissão de todos e todas. Não podemos deixar que os trabalhadores e a população paguem pela crise, que só começou graças aos desmandos do governo do Estado, que trata a água com uma mercadoria e não um direito. Se for preciso cortar gastos, que se corte dos lucros dos acionistas, e não dos salários dos funcionários ou dos serviços prestados à população.

Diretório Municipal do PSOL São Paulo

Mandato do vereador Toninho Vespoli

 


Seja o primeiro a comentar sobre esse artigo


Deixe seu comentário

Powered by WordPress | Designed by: Free Premium WordPress Themes | Thanks to WordPress Themes, Premium WordPress Themes and WordPress 4 Themes